Comportamento

Aborto

11:16

Por ser um tema polemico, onde sempre quando se cogita tem os contra e os a favor do aborto, por ser mais complexo e envolvendo: valores, religião, educação familiar, moral, entre outras coisas. Como sempre vou tentar falar minha humilde opinião sobre esse assunto, mas vou tentar mostrar os dois lados e a parte da lei, para que vocês também tenham a sua própria opinião sobre o assunto.
Primeiramente vou falar dos que são contra o aborto, essas pessoas utilizam vários argumentos e motivos, geralmente apoiam-se na religião, que em geral proíbe a interrupção da vida, classificando esse ato como assassinato, outras acreditam que o aborto seja algo cruel ou até mesmo o procedimento sendo injusto, pelo motivo que existem milhares de casais com dificuldades para dar a luz a um filho enquanto outras pessoas praticam o aborto, esse pensamento condiz perfeitamente com o raciocínio médio da população brasileira, que apesar de viver num país laico, permanece reacionária e fundamentalista.
Importante se  ressaltar que existem três correntes acerca do inicio da vida humana, a primeira acredita que esta tem origem na concepção, motivo que leva algumas pessoas que acreditam nisso serem contra até mesmo o uso da pílula do dia seguinte, outras pessoas acreditam que a vida se inicia com a junção do feto à parede do útero, o que acontece semanas após a concepção, nesse caso, a pílula do dia seguinte pode ser utilizada já que não haverá interrupção da vida, por último, há aqueles que acreditam que a vida apenas se dá quando da formação do cérebro e sistema nervoso, estes admitem que o aborto realizado até meses antes do nascimento não configura, portanto, interrupção da vida.
Pela legislação vigente fala desse tema, o Código Penal, em seu artigo 124, considera o aborto crime contra a vida com pena de detenção de 1 (um) a 3 (três) anos, no entanto, ele poderá ser realizado se a gestação apresentar risco à vida da mãe ou se a gravidez ter acontecido por causa de um estupro, nesse caso, não haverá a necessidade de queixa ou trânsito em julgado do crime, apenas a afirmação da vítima e apresentação do seu RG é suficiente para realização do ato. Recentemente, o STF no julgamento da ADPF 54 também entendeu como legal o aborto para fetos anencéfalos. No que se refere ao Código Civil, este preconiza pela proteção da vida desde a concepção, mas decide pelo inicio da personalidade jurídica apenas com o nascimento com vida (artigo 2º do Código Civil).
Existe também o lado de quem é a favor ao aborto, são pessoas que já tiveram em uma situação complicada e não sabia o que fazer, ou não era a época certa para ter um filho, o pai não queria a criança então  ficava pressionando para a mulher tirar, pois além de não querer assumir, sabe que o filho pode ser um vinculo e ele terá que assumir o filho e pagar uma pensão; tem as pessoas que  opinião que a mulher também tem direito de escolher o que quer fazer com o corpo dela, pois afinal para ter um filho você precisa ter uma estrutura. Não podemos criticar, porque é diferente você apontar o dedo e falar uma coisa, e viver esse tipo de situação onde não sabe o que fazer, ficar desesperada e não ter para onde correr.
Para finalizar minha opinião, sou a favor do aborto, pois conforme o passar do tempo à mulher vem conquistando sua independência financeira, intelectual e sobre seu corpo, então ela tem todo o direito de decidir o que pode fazer da vida dela, sem ficar se prendendo ao que os outros vão pensar, e para os que vão falar “engravidou, agora aguenta”, então transar é crime? E o castigo é você ter um filho quando você não quer e não esta preparada para maternidade? Porque se for isso mais uma vez um falo então o homem também tem que responsabilizar por isso, afinal de conta mulher não consegue fazer um filho com o próprio dedo (desculpa, mas ainda não temos essa capacidade de sermos hermafroditas). E acho que se tiver a legalização do aborto, e a mulher vai ter um lugar descente, com profissionais especializados, e consequentemente vai acabar com os “açougues clandestinos”, e a mulher  pode fazer o aborto sem ter sequelas ou até mesmo perde a própria vida, afinal milhares de mulheres morrem ou ficam com alguma infecção onde  ficam impossibilitadas de no futuro e de um jeito planejado gerar um filho. Somos mulheres e temos que lutar pelo o que é bom para a gente, e não ficar dependente do que os outros decidam o que é melhor para nossas vidas. Como eu disse desde o começo aqui é a minha opinião sobre esse assunto, se vocês discordam e querem dar a sua opinião, fique a vontade. Todo mundo tem direito de expor sua opinião, desde que não humilhe, ou agrida o outro verbalmente.

Você também pode gostar

2 comentários

  1. Tema que sempre vai ser polêmico...Tbm sou a favor do aborto. Claro que devemos sempre nos prevenir, até de doenças. mas me lembrei daquelas mulheres anos atrás que engravidaram graças a uma pílula anticoncepcional que estava sendo falsificada. Ela tem que ter o filho pq a bendita deixou a mulher na mão? Acho melhor uma mulher ter a consciência de que não serve para ser mãe ou que não quer mais ter filhos e abortar do que ter a criança e depois abusar dela física e psicologicamente, criando uma pessoa frustrada, de baixa estima, dentre outros fatores que podem até ser mais perigosos.
    Ótimo post, mais uma vez! Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O STJ, recentemente, julgou a indenização devida por esse laboratório às mulheres que engravidaram em decorrência do uso do medicamento "falsificado", o valor das ações individuais chegaram à casa do um milhão de reais, de qualquer modo, é um caso isolado.
      Creio que a legalização do aborto deva acontecer em razão dos direitos individuais da mulher, que devem ser respeitados, vivemos e estamos submetidos a uma legislação colonial e recheada de principios religiosos, os legisladores devem logo entender que: "em país laico, a religião não decide o que é crime, assim como o Estado não dita o que é pecado".
      Ademais, todos sabem que a proibição do aborto, apenas atinge as jovens de menor classe social, pois as "patricinhas", quando querem abortar, vão às variadas clinicas especializadas nesse procedimento e interrompem suas gravidezes indesejadas sem maiores problemas.

      Excluir