Comportamento

Seja dona do seu próprio conto de fadas.

21:24



Quantas vezes lutamos bravamente atrás do nosso conto de fadas? Afinal, como seria perfeito se no meio de tantos problemas aparecesse alguém do nada para te salvar de tudo, enquanto você só fica parada olhando... Espera... Ficar só parada e olhando? Não mesmo.

Nesse final de semana estava assistindo um filme no Netflix que falava exatamente disso, como parece lindo viver em um conto de fadas, mas nunca ninguém conta o que acontece na página dois dessas histórias. Se queremos alguém para nos salvar da torre e resolver os nossos problemas, tudo na vida tem um custo. Qual seria esse custo?

Vamos ser realistas e pé no chão, ao mesmo tempo que nós fazemos de tudo para ser as heroínas da nossa própria história, sempre pensamos que a vida seria bem mais fácil se fosse um conto de fadas. Só que não é bem assim, se não sabemos como resolver os nossos próprios problemas e deixar os outros fazer isso, que controle vamos ter sobre a nossa própria vida?



Não devemos abrir mão dos problemas e nem ser aquelas mulheres que podem tudo sozinha, pois somos seres humanos que não tem superpoderes, afinal eu não sei fazer brotar dinheiro do chão, se não tiver alguém pagando pelo meu serviço a consequência disso é morrer de fome. Mas a questão principal é que não precisamos sempre de alguém para resolver os nossos problemas e nem somos um objeto frágil, pelo ao contrário, somos fortes para lutar pelas nossas próprias batalhas, com a diferença que depois de tentar milhares de vezes e não conseguir, ai sim pedimos ajuda do outro, pois sabemos que tentamos de tudo e uma pessoa de fora pode ter um olhar diferente para o mesmo problema.

Uma coisa falada no filme e gosto de repetir isso algumas vezes por tão profundo que parece: “nos ensinaram que somos as princesas da história, mas na verdade podemos ser a fada madrinha se uma amiga precisar de ajuda, o gênio da lâmpada quando tentamos cumprir as expectativas dos outros. E principalmente podemos ser o nosso próprio príncipe encantado, porque princesa que se respeita, se salva sozinha”. Acho que está na hora de descobrimos que podemos ter o nosso próprio conto de fadas, mas diferente do contos de fadas da maioria que precisa sempre de alguns personagens, seremos todos os personagens da história, sendo flexíveis quando for preciso e virando quantos personagens forem necessário para encontrar o nosso feliz para sempre.

Qual seria a graça da vida se não tivesse problemas ou tivesse outra pessoa resolvendo os nossos próprios problemas? Para mim não teria graça, pois como vamos evoluir e aderir mais habilidades ou conhecimentos se tem alguém fazendo tudo no seu lugar. Não sei vocês, mas prefiro lutar com os meus próprios dragões, do que pedir para alguém fazer isso por mim.

Para resumir tudo o que eu tagarelei e colocar alguns pontos e vírgulas nos lugares necessários, devemos parar com essas história de que somos frágeis e indefesas como nos contos de fadas, que deixa bem claro que o final feliz só acontece quando o príncipe encantado aparece. Temos que começar a lutar na nossa própria guerra e nos salvar dos dragões e bruxas, encontrando o nosso felizes para sempre sozinhas. Mas quando o príncipe encantado aparecer, vai perceber que luta dele não vai ser com nenhum monstro, pelo ao contrário, vai ser com princesas teimosas e que quer lutar junto com ele nas guerras, ao ponto de dar gargalhada quando escutar da boca dele “você é tão frágil, não prefere ficar em casa esperando eu resolver esse problema?”. Afinal o príncipe vai ter que entender o simples fato que a guerra mais importante na vida dele vai ser para permanecer nas nossas vidas e planejar um futuro com mulheres que são independentes.

VOCÊ PODE GOSTAR TAMBÉM:

0 comentários